Sábado, 10 de Janeiro de 2009

Um regresso que se impõe. Literalmente

Uma pausa neste interregno impõe-se.


Após 4 meses de ausência, devida à falta de assuntos que me motivem e principalmente à falta de tempo resultante da rotina imparável do dia-a-dia, é hora de regressar ao meu campo cor-de-rosa.

Desta vez não há desculpas. Não vou deixar para depois. Desta vez tem mesmo de ser. Messsssmooooo de ser.

 

 

E tudo começa num dia desta semana, em que me foi explicada a história de um cliente que sofre de doença prolongada, situação para a qual não há mais volta a dar. Uma questão de tempo. Nada mais. O doente decidiu doar o seu corpo, ou em termos mais rigorosos, o seu cadáver para fins de ensino e investigação científica. Ora, a mim incumbe-me estudar o regime legal respectivo e preparar o documento que o doador vai assinar e através do qual determina que quando falecer o seu cadáver será entregue a uma faculdade de medicina. Tudo em nome da Ciência.

 

 

Fiquei logo sensibilizada com o tema. Senti de imediato uma vontade enorme de colocar todos os outros trabalhos que tinha em mãos e me dedicar afincadamente apenas e só a este caso.

 

Tenho feito pesquisa atrás de pesquisa, atrás de pesquisa. E no que toca à doação de cadáver para fins de ensino, o trabalho não acabou, e por isso não me alongo muito sobre o tema.

 

Todo o tempo a que me tenho dedicado a este “trabalho” fez-me entrar no mundo das doações. Falo não só de cadáveres, como de órgãos e ainda de medula.

 

 

 

 

 

Agora sei que as faculdades de medicina quase não recebem cadáveres. A Faculdade de Coimbra, por exemplo, recebeu apenas 9 cadáveres nos últimos 9 anos!, pelo que o ensino dos nossos futuros doutores fica seriamente comprometido. Agora sei que há que sensibilizar a população para este tema, fazer passar a importância de doar o nosso corpo para que a medicina não pare de evoluir, e afinal para que possamos contribuir para que os nossos familiares que cá ficarem depois de nós possam beneficiar de novos  e mais eficazes tratamentos.


 

Hoje sei que quando morrermos, e salvo se manifestarmos expressamente vontade contrária, somos considerados potenciais dadores de órgãos, se os nossos órgãos estiverem saudáveis e estiverem verificados alguns requisitos legais, claro.

 

 

Fiquei também a saber que podemos dar alguma ajuda em vida, podemos fazer uma acção que pode salvar vidas, mesmo! Quer dizer, sempre ouvi nos telejornais ser debatido a necessidade de alguns doentes receberem sangue, algum órgão ou medula, mas nunca me havia deparado com a facilidade em, por exemplo, nos tornarmos dadores de medula.

 

  

Vejamos, uma pessoa que tenha entre 18 e 45 anos e que se queira tornar dador de medula tira sangue e passa a integrar o Registo Nacional de Dadores Voluntários de Células de Medula Óssea. Se alguma vez algum doente precisar de medula e o dador for compatível, esse dador será chamado.

 

O processo de doação de medula pode ser feito através de dois meios:

  

  Colheita a partir da medula óssea - Células progenitoras colhidas do interior dos ossos pélvicos. Requer geralmente anestesia geral e uma breve hospitalização;

 

  Colheita de células progenitoras periféricas - Colheita feita no sangue periférico, através de um processo chamado aférese, em que o dador tem de tomar previamente um medicamento que é um factor de crescimento que vai fazer aumentar a produção de células progenitoras no sangue.

  

Quer dizer, se doarmos medula através deste segundo meio, mais não teremos de fazer do que tirar sangue. E foi esta a informação que me fez abrir os olhos, porque por ignorância sempre imaginei que estas doações implicassem hospitalizações, cirurgias, todo aquele cenário complexo que acaba por nos levar a não ajudar.

  

Neste âmbito é importante esclarecer que a medula é um tecido regenerável, e portanto o dador pode doar várias vezes na vida. Outro ponto muito importante é que o dador não é obrigado a doar, ele pode desistir a qualquer altura.

  

Caramba, não valerá passar por uma transfusão de sangue e com isso poder salvar a vida de uma criança, por exemplo? Hell yeah!!! Já imaginaram o efeito na vida do doente? Na sensação que isso dá? Nas transformações que podem provocar na nossa personalidade? No modo como vemos a vida? Nas nossas prioridades? É por isso que decidi que o quanto antes vou por de lado o pouco amor que tenho às agulhas, e avançar. Tornar-me uma potencial dadora de medula. 

  

Alguma da informação sobre doação de medula foi retirada deste site

 

Vão lá se quiserem obter mais informação!

 

 

 

 

hoje sinto-me:
tags:
publicado por pinkpanther às 20:06

link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Miss M a 12 de Janeiro de 2009 às 11:49
É realmente um tema importante a divulgar.
Eu tornei-me dadora de medula, através de uma acção feita por familiares e amigos de um jovem doente, conhecido dos meus pais. Infelizmente, não foi encontrado dador compatível. Mas fiquei registada.
A verdade é que, se não tivesse sido aquela acção ali quase à porta de casa, ainda não me teria tornado dadora. E como eu, deve haver muita gente assim. As pessoas, por vezes, têm preguiça de tomar estas atitudes. É pena.
De pinkpanther a 12 de Janeiro de 2009 às 21:16
Verdade...Tomei consciência de que cada um tem de fazer a sua parte para despertar as consciências, que tal como a minha até há uns dias, andam "adormecidas"!
E os testes que fizeste? Foi apenas recolha de sangue ou há mais algum a fazer?
De Miss M a 14 de Janeiro de 2009 às 10:27
Fiz apenas recolha de sangue, para dois tubos diferentes. Uma coisa muito rápida e simples.

Comentar post

.Psst! Nada de cusquices!

.Meez

Meez 3D avatar avatars games

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.Procuras? ACHA!

 

.posts recentes

. As pulseiras Thomas Sabo

. P.P.'s Primavera Verão 20...

. NEW ADDICTION - DIOR ADDI...

. Elton John

. Aos candidatos a Dadores ...

. 40€ Anyone?

. Um regresso que se impõe....

. HELLO SUNSHINE!

. Holidays

. Here's what i've been up ...

.Já cá passaram

Free Cell Phones
Cell Phones
blogs SAPO

.subscrever feeds